Perseguidor: parte 1


Click to Download this video!


Tem coisas na vida aos quais não se tem controle. Eu tentei e por muitos anos consegui manter este instinto sobre controle, mas uma hora chega à certo ponto que fica incontrolável aquele impulso depravado. Meu nome é Ricardo e moro em Guarulhos, isso aconteceu pela primeira vez em 2013 no final do ensino médio e desde então tenho sido um maníaco sexual.
Me contentava dando umas encoxadas quando saia do colégio, e durante a maior parte da adolescência fiquei somente nisso. Sou um rapaz bonito pelo menos e isso proporcionava bons momentos nos ônibus coletivos e metrô aqui em minha cidade. Chegava atrás das meninas de colégio e sarrava através daquelas calças de lycra ou tactel, era o tipo que procurava e dava pra sentir a bundinha delas e a calcinha. O melhor acontecia quando elas sentiam o meu pau encostando e deixava sarrar atrás e meter a mão nelas. Certo dia encontrei com uma menina de um colégio bem distante. Ela era muito linda, pele clara e de cabelos escuros muito bem cuidados, farda branca e de calça azul marinho, ela estava em pé em uma parada de ônibus lotada, não esperei nem o busão chegar e me meti atrás dela. A mochila estava nas costas, mas dava pra ver aquela bundinha empinadinha e coxas grossas. Fiquei ao seu lado e pensei em puxar assunto. Não é difícil namorar uma menina dessas, mas por algum motivo queria ver como ela ficava sendo abusada. Só de imaginar ela nervosa e com medo era o suficiente. Naquele dia tudo mudou. Decidi segui-la, mesmo que fosse muito longe e eu até sabia quais ônibus ela iria pegar. Mas antes já cheguei bem perto a ponto de sarrar de ladinho nas mãos dela que percebeu de cara o meu pau em sua mão. Seus olhos castanho-escuros olharam de canto para baixo e para cima vendo meu rosto. Fiquei tapando sua visão do busão que chagaria. O momento de encoxar tem esse ponto crucial, ou ela te olha com uma cara de cu pra demonstrar que não quer ou grita ou baixa a cabeça e finge que não percebeu. Pra minha sorte e abaixou a cabeça de olhos arregalados e logo se sentiu envergonhada, mordeu os lábios e tirou as mãos, mas eu cheguei mais perto e encostei o pau na sua coxa. Ela quase deu um salto e pôs a mão de novo, Fui empurrando e ela tentando se afastar, mas a parada estava lotada, era horário de pico, ela estava perto da cerca de arame e não podia se mexer. Ela era baixinha, tinha uns 15 e estava no primeiro ano do ensino médio, ficava na altuda do meu queixo e como estava de cabeça baixa quase ficava grudada no meu peito, aproveitei e praticamente coloquei ela de baixo dos meus braços. Sarrei e começei a passar as mãos no corpo dela. Delicioso entre a calça dava pra sentir tudo, subi a mão pela sua barriguinha, ela era muito vergonhosa e colocou a mão na boca, estava paralisada . Com os braços procurava impedir que eu subisse até os seios. Então fui até sua bunda, e como estava de mochila dava pra enfiar as mãos por trás da camisa e descer por baixo da roupa. Ela deu um gemido de surpresa, a mão foi até a covinha da bunda e fiquei alisando de leve, ai o braço dela amoleceu e eu rapidamente coloquei a mão no peitão dela, era maior do que parecia, pois o sutiã era sem bojo. Uma baixinha peituda fogosa, pensei que deveria ser criada por família recatada, se eu não fizesse nada seria a única experiência sexual que teria na adolescência.
O busão chegou e ela tratou de correr na minha frente, não teve coragem de me olhar no rosto, mas viu minha calça e meu tênis. Fui atrás dela e como o busão estava lotado fui apertadamente até chegar nela. Estava na parte lateral do ônibus, como se fosse um vão sem cadeira. Assim que cheguei nela enfiei o dedo bem de leve entre as costelas e a barriga fazendo uma cosquinha. Ela se contorceu toda e ficou vermelha, nessa hora eu sentia o calor que ela estava, quase febril. Ela estava com a mochila pra frente e meio de lado. Prensei ela na parede e sarrei até ela virar de costas, foi ai que ficou maravilhoso, sentindo aquela bundinha bem empinada pra mim. Ela senti meu pau duro roçando, e algumas vezes colocava a mão pra trás como se tentasse tapar um buraco. E eu botava o bendito nas mãozinhas dela. Isso durou ums 30 minutos. Ela tinha que descer e de novo não queria olhar para mim. Pensei em ir embora, mas não conseguia deixar de pensar em terminar o serviço. Desci bem depois dela, quase enquanto a porta do busão fechava. Ela já estava um pouco adiante na rua, entrou numa rua que ia dar num conjunto habitacional. Já eram perto das 19:00 horas e estava escuro e deserto, as casas de muro alto, ela não olhou para trás logo que entrei na rua, e deu uma travada mas engrossou o paço. Decidi andar bem rápido e por sorte ela provavelmente passou direto da casa dela por medo de eu saber onde ela morava. Cheguei perto e quando ia tocar nela ela parou e me olhou dos pés a cabeça e tremeu. Eu toquei em seus ombros e ela de repende fala baixinho. – Não me toca.- Mas a abracei e disse que estava tudo bem e que não ia fazer nada, pedi desculpa mas já ia passando a mão nela de novo. Ela já não conseguia dizer que não queria e fui conduzindo ela até um pequeno mato que tinha perto de uma praça. Chegando lá a beijei e ela correspondeu. Então fui beijando e chupando o pescoço dela e perguntei o seu nome. Thamires- ela respondeu. Eu tirei meu pau fiz ela de putinha. Ela sem saber chupar caiu de boca e não lambia mas ensinei como fazia e ela então chupou e lambeu a cabeça. Abaixei a calça e a calcinha roxa dela. Enfiei com carinho, ela pediu para fazer de frente pra ela e como suspeitei era a primeira dela. Bombei muito nela e conseguimos ainda fazer um belo 69 antes de meter de novo e ela gozar, a bucetinha prendia muito e apertava sem controle, ela tremia muito, e teve uma bela primeira gozada. Pra não gozar dentro dela eu despejei tudo na farda e no rosto dela. Ela chupou ainda, mas depois caiu em choro. Ainda ficamos conversando um pouco. Thamires me mostrou sua casa e me despedi.
Foto 1 do Conto erotico: Perseguidor: parte 1

Foto 2 do Conto erotico: Perseguidor: parte 1

Foto 3 do Conto erotico: Perseguidor: parte 1


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario

Comentou em 13/03/2017

Hmmm que tesão

foto perfil usuario kzdopass48es

kzdopass48es Comentou em 13/03/2017

Ricardo, queria ser encoxado assim, no coletivo e depois ser enrabado! Linda a gata! ! Betto(O admirador do que é belo)




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


Ficha do conto

Foto Perfil deomom
deomom

Nome do conto:
Perseguidor: parte 1

Codigo do conto:
97980

Categoria:
Fetiches

Data da Publicação:
13/03/2017

Quant.de Votos:
4

Quant.de Fotos:
3


Online porn video at mobile phone


Festas menage aclimação swing sexocontos eroticos bebada estuprada dopadaRelato mae fode-se com seu filho na praia de nudesContos éroticos caseiro taradão da rolona grossa rasgando o cusinho da patroa loirinhaduas gostosa comendo na cozinha heitabuceta virada mozcu arregacado pelo padrasto videoenfermeiro abusou gay contoppadrasto meleca a buceta da enteada todinhaconto erotico gala do maridocontos traicao sogrominha mulher me chamo de viado na frente do .eu colega que acabo apagando seu fogocontos eroticos gays eu e meus amigos fudemos muito na infancia conto gaysexo engravidando mamaepecador usuarioeroticoitaloconto erotico cassete esposaConto erotico botei minha pica nao aguentoucontos eroticos adoro chupa rolaconto erotico comento minha cunhadinhaconto tia cavala nua em casaconto erotico pivetes 2017contos eroticos q o marido pegou a esposa fudendo com outro e sentiu foi tesao e participou tbm da festaminha filha me fragor dando pro meu genro contos conto erotico gay negao dominador escraviza travestiConto eroticos gays gozando pelo cuirmas putas contos quadrinhosporno em banda desenhada cunhadaQuadrinho erotico porno real ajudado a minha sobrinhaconto erotico flagracontos eróticos malandro comedor casadascontos eroticos comi a casada carentecontos eróticos de gay comido pelo tio do meu amigoContos comi o cu da minha maecontos eroticos de maridos manso de 2017 faz festinhas para amigos .casadoscontos-senhoras casadas enrabadas por marginal negrosconto erotico baile carnavalContos erticos picantes de gays com fotos ilustrativasgulusinha sorridende videopono gay. de homens taxetaconto erotico pintudinhoclimax me bolina ler contoesposanas baladacontoscontos eroticos de sissy passivasconto erótico esposa engrávida depois de um estuproconto quando eu via meu pai minha xota latejavacontos erotico/a enteada novinhaporno Tia gorda dormindoentiadacontoeroticoporno gay quadrinho mozto rucu da prima conto eroticoQuadrinho Engravidando mamãe porno Parte 2desenhos pornô incestoComtos porno de mae e tia e filhovale tudo com a sogra conto pornodesenhos animados gay gibi sexodp porno machuca contos casadasestuprada jinazio vidiopprnoconto gay irmaos gemendo no pirocao do irmao c fotonininhapornocontos erotico esposa humilhando edposoxvideos zeningabiuma bela foda no cinema casal contocontos eroticos ladroesporno quadrinho familiacontos eroticos de velhos que praticam lactofiliacontos incesto escaldantes mae e filhoConto erotico a putinha rabuda do busãocontos+eroticos+as+cuecas+das+tiasele me dedou calcinha molhadinha calcinha contoquadrinhos porno mae safadaContos eroticos cheirando calcinhas no banheiro da lojaconto sobre sexo com super dotadocontos eroticos conversa minha esposa putacontos eroticos estrupada bebada senti prazercontos porno gratis estupro submissãoconto erótico gay queria mas não aguentoucontos eróticos de cenoura no cuzinhoconto erotico tirando o atraso da tia e da maecoroawww.mulherescasadascontoseroticos.comconto incesto sou mulher do meu filhoconto erotico estava chovendo forte maninha casada com medo pediu pra eu dormir com elacontos.gosou na doente mentalconto erótico de viado dando o cu pra catador contoeroticomatoEvangelicas carentes no contos eroticos recenteconto erotico minha esposa esperimentou a pica do negao e voltou pra casa arrombada eu vi fotoscontos de estrupo. com lixeiro