Caralhos Negros pras Colegiais


Click to Download this video!


Não me dou muito bem com as meninas do meu colégio.
O Bruno, meu namorado, é quem banca meus estudos. Ele vive dizendo que tá complicado pagar a mensalidade e que não vê a hora de me ver na faculdade. Eu também não vejo a hora, mas ainda falta muuuito.
Os meninos do meu colégio não gostam de mim. Zoam porque namoro um homem mais velho e pobre. Ninguém entende o motivo que me levou a namorar o Bruno, um jovem senhor com idade pra ser meu pai.
- O que essa gostosa vê nesse cara? Pobre, feio e velho!
Eu não ligo. Nem olho pra cara desses playboys de merda. Nem ligo pras vacas invejosas que me medem dos pés a cabeça, tentando entender o que me leva a ignorar tantos caras perfeitos que me cobiçam no colégio.
Na minha sala tem duas meninas muito gente finas. Elas me elogiam, falam que admiram meu jeito e em como eu ignoro os caras bonitos da escola.
- Ai Ju, eu não entendo como você consegue falar “não” pro Marcelinho. Ele é muito perfeito.
- É mesmo, Ju! Cara, na boa, eu bato na minha mãe pra ficar com ele e com o Tonny. Kkkk
Só rindo com essas meninas.
Elas sempre me perguntavam, numa boa mesmo, como eu conseguia ser tão fiel ao Bruno.
- Gente, o Bruno me satisfaz como nenhum outro namorado consegue. Se ele continuar assim, nunca terei motivo pra largar meu amorzinho.
- Nossa, Ju... que lindo isso. Essa é a parte mais bonita da suas histórias. Eu gosto desse romantismo, mas eu vejo esses meninos aqui do colégio, e quero ver eles metendo a rola na minha buceta. Kkkkkkkkk
E todas riamos.
- Eu também – dizia a outra – eu queria trepar com o Igor e depois com o João. Aposto que eles tem uma pegada muito forte.
Eu ouvia a histórias das meninas e me dava um pouco de pena. Elas não eram bonitas e isso afastava os caras do colégio. Eles queriam se exibir com as perfeitinhas de olhos claros como eu.
Durante um ano eu escutei elas chorando dizendo que queriam ser comidas e que até arrumavam alguns carinhas meio fraquinhos. Elas queriam ser fodidas por homens de verdade e acreditavam que aqueles bonitinhos do colégio, com suas barrigas tanquinhos, seriam os tais comedores de verdade.
- Meninas, esses carinhas aqui do colégio são todos uns bando de bichas. Se fossem homens de verdade já teriam comido vocês faz tempo. Homem que é homem fode mesmo.
- Ahhh falou a casada com um viril de 19 anos. Kkkkkkkkk
Era só risada com elas.
- Mas eu falo sério. Esses carinhas pagam de machos, mas só querem se exibir pra tentar se enxergar como homem. Mas na real, são tudo pintinho pequeno e mucho.
- Ah Ju, vai me dizer que o Igor com aquelas coxas e aquela cara de puto não mete com raiva?
- Olha, vou arranjar um esquema pra vocês duas ficarem com ele e com os outros. Mas tem que foder mesmo. Matar a vontade de ser arregaçada. Vão ver como eles vão pipocar.
Como eu sabia que os bichas não iam querer as meninas, prometi ficar com eles se eles pegassem minhas amigas primeiro.
No outro dia o Igor comeu uma, o Marcelinho comeu a outra. Depois uma delas disse que meteu com dois. E a outra meteu com mais outro. Enfim, elas ficaram duas semanas dando pra vários caras, todos os dias, as vezes com três no mesmo dia.
- E ai, como foi?
- Ju, o Igor é perfeito. Aqueles olhos, aquele peito. Que bunda. Kkkkkk
- Mas e ai?
- Nossa, o Michel e o Tonny também.
- Sim, são lindos, deuses, mas e ai, vocês gostaram?
- Amigaaaa, NÃÃÃO – e elas fingiam que estavam chorando. Kkkkkkk
- Meu, o Igor brochou três vezes. O Marcelo deu uma em um minuto e dormiu.
- kkkk E o Fábio que me implorou pra fazer um fio terra. Kkk Eu fiz, mas depois, no outro dia, ele queria que eu metesse um vibrador enorme nele.
- Aii credo, que nojo.
- E eu enfiei. Kkkkk Mas é uma bixona mesmo.
- Mas e ai, teve algum legal?
- Eu não gostei de nenhum. O Murilo queria ver filme pornô pra me pegar. O Litinho só me pegou porque veio com o amigo e os dois mais zuaram do que meteram.
- Ahh Ju, bem que você falou que são tudo uns pica mole. Eu acho que esses pauzudos de filme pornô não existem.
- Gente, o pior que existe.
- Para, Ju. Vai falar que seu namorado idoso é dotadão?
- O Bruno é igual esses meninos ai que vocês tão reclamando.
- Oxi, então qual é? Você deve ter aprontado muito antes do Bruno, ein.
- Meninas, o negócio é o seguinte: O Bruno é meu escravo corno manso.
- Uuuu quêee?
- Corno? Escravo? Que porra é essa, Ju.
- Meu, prometem que não falam pra ninguém? Eu só tô falando pra vocês porque neste mundo só tenho vocês duas como amigas.
- Você tá de sacanagem com a gente.
- Não! È sério mesmo. Eu escravizo o Bruno. Ele me idolatra e me paga trazendo cara de pauzão pra mim.
- Puta que pariu. Eu pensei que já tinha visto de tudo. Que porra é essa que você tá me falando, Ju?
- Meu namorado Bruno paga homem de pau imenso pra me foder na frente dele.
- Caralho, isso fodeu minha vida. Ela é lorinha de olhos verdes claros, magrinha, perfeita, e ainda o namorado presentea ela com pinto grande.
- Caralho, Ju. Meu, eu quero ser você.
- Meu, e sabe, eu tô pensando em deixar vocês curtirem um pauzão de verdade.
- Puts, muito massa.

Na mesma semana conversei com o Bruno.
Como eu ainda moro com meus pais, a casa do Bruno sempre foi o recando dos meus caralhudos.
Na sexta-feira as meninas iam na casa do Bruno pra conhecer o Café, um negro de uns quarenta anos que é dono de uma rolona preta mais grossa que um braço, dura e grande feito um tronco. Aquele tipo de pinto preto que da vontade de se lambuzar todinha um final de tarde todinho.
Na sexta nem fui pro colégio. As meninas chegaram. Sentaram no sofá.
- Cadê seu namorado?
- Foi trabalhar. Alguém tem que botar pintão dentro de casa, né. Kkkkkkk
Elas estavam ansiosas e perguntavam onde estava a tal rolona.
Fui até o quarto do Bruno e peguei aquela vara grossa e quente com minhas mãozinhas e fui levando pra sala. O negro três vezes maior que eu vinha acorrentado pela minha mãozinha de menina loirinha, latejando forte, esquentando minha palma branca e fazendo suar com seu calor de rola de macho forte.
Quando entrei na sala e elas viram o tamanho do pintão duro na minha mão, suas caras de amor a primeira vista foi notável.
- Nossa.
- Juliana Freitas, quê quê isso meu?
Talvez a vergonha deixasse elas caladas. Só olhando, percebendo a realidade de uma benga preta imensa bem na frente delas.
Eu sentei num banquinho de frente pra elas, com o negro em pé de costas pra mim. O pauzão dele ficou na frente da visão delas. Com minha humilde mãozinha, eu segurava o tronco cabeçudo e balançava pra deixar as meninas com mais água na boca que somente caralhudos perfeitos podem causar.
- Olha a grossura desse cacete? Vou soltar e deixar ele balangando pra vocês verem como ele pulsa firme e forte, tipo jurando de arrombar nós três por uma semana.
Kkkkkkk elas riam mas com o olhar fixo na tora que só negro poderoso tem.
Lambiam os lábios. Arrumavam o cabelo. Aquilo era um sonho pra elas. O pau do cara ficou duro mirando pro teto por muito tempo, sem ninguém tocar nele. O saco com aquelas bolas gigantes penduradas, pareciam nos convidar pra mamar nele, cobrindo nossos rostinhos de colegiais prostitutinhas com saco e pinto grosso de negro.
- Imaginem o saco dele no rosto de vocês, cobrindo o rosto todinho, enquanto vocês namoram se lambuzando toda, aproveitando um cacete de macho.
Elas ficavam caladas, olhando e lambendo os lábios.
- Tão sentindo o cheiro? – Elas disseram que sim com a cabeça e com a voz rouca.
- Vou deixar vocês sentirem o cheiro de pertinho.
Empurrei o negro com seu pauzão perto delas e com minha mãozinha fiquei balangando perto do narizinhos delas. Uma delas fechou os olhinhos e puxava o exalar de caralho duro para dentro do nariz, tentando aproveitar pelo menos o cheiro forte de rola negra.
Quando vi as duas estavam de olhinhos fechados, puxando pra dentro do corpo o dor de pinto grande. O vento batia e o cheiro de cacete ficava mais forte e as meninas sugavam com leves balançar de cabeça. Elas estavam felizes. Era isso que eu queria. Queria dar a verdadeira alegria para minhas amigas de verdade.
O negro ficou sozinho balangando a rola pra elas cheirarem como num sonho e elas só elogiavam.
- Caralho, nunca vou esquecer o cheiro da sua rola, moço.
- Por favor, mamãe, me dá um desse no natal. Kkkkk
- Moço, pode encostar ele na minha língua?
A campainha tocou e me levantei pra ir atender. Olhei as duas com as linguinhas estiradas pra fora, babando pro cheiro do caralhão do negro. Elas esperavam feito duas cadelinhas escravas por uma esmola de um pinto enorme, grosso e duro.
Ele conseguiu encostar a pica nas duas línguas ao mesmo tempo. De lado elas tiveram o privilégio de poder lamber um belo negro caralhudo. Ele batia com o tronco quente nas duas línguas ao mesmo tempo, enquanto elas de olhinhos fechados e com suas línguas de meninas aguardavam mais e mais pauladas na boca.
Abri a porta e só então elas voltaram ao normal. Abriram os olhos assustadas. Ambas tentando se esconder de quem chegava a porta enquanto um negro pauzudo deixava sua bunda a mostra pro convidado.
Mas não era ninguém.
Logo feito duas cadelinhas, elas fecharam os olhinhos e botaram suas línguas pra fora pro negro apenas encostar com pauladas o cacete grosso.
- Meninas, hoje ele é de vocês.
O Negro pegou ambas pelas cabeças e soltou a rola na cara delas. Cobriu os dois rostos. Logo ambas estavam com os rostinhos cobertos de pinto, e o que se via era apenas algumas partes da pele branquinha delas. Seus olhinhos claros ora ou outra se abriam por trás do pinto. Elas aproveitavam chupando o saco, o pau, lambiam a barriga. Faziam uma bagunça. A baba delas molhava o chão e o sofá todo. O Negro botou uma perna no sofá e outra ficou no chão, abrindo ainda mais espaço pras meninas aproveitarem o melhor da vida.
Um puta de um negrão de quarenta anos, todo aberto pra duas gatinhas colegiais. E elas em baixo sugando o sabor de saco e pau grosso. Pareciam famintas, pareciam animaiszinhas sugando com fome. Vestidas com a roupa da escola, que já estava todo babado de pinto, elas namoravam a rola do negro.
Novamente a campainha tocou. Fui atender e dessa vez elas nem ligaram. Ficaram idolatrando o saco do negro. O Bruno entrou me falando:
- Ju, eu sabia que você ia ficar com suas amigas aqui hoje, então eu vim pra casa de agradar.
- Me agradar? Mas nós já temos o que nos agrada. Você já me agradou.
- Calma, Ju. Eu só queria dizer...
- Bruno, tá tá tá, pode ir trabalhar... Já estamos bem aqui.
Eu tentava fechar a porta empurrando ele e o coitado se esforçando pra me contar algo.
- Ju, por favor, essa é minha casa...
Eu abri violentamente.
- O que você falou, Bruno?
- Não é isso, Ju. Calma, por favor.
- Repete, seu corno fraco.
- Ju, desculpa. Eu quero dizer outra coisa e só assim você me escuta.
- Bruno, seu fudido, eu não vou atrapalhar as meninas de namorar hoje...
- Ju, eu te imploro perdão...
- Sai daqui. Nem adianta voltar hoje. Eu vou pra casa e você vai dormir na rua.
- Ju, eu te amo e vim te trazer um presente.
- Enfia no cu esse presente.
- Ju, é um presente pra você enfiar no seu cu e no das suas amigas.
Abri a porta que já estava quase fechada. Abri bruta e vi o Bruno me apontar uma vãn estacionada na porta.
- Tens uns dez iguais a este que você gosta.
Olhei pro negro sendo abusado pelas meninas, já fodendo uma e lambendo o cu da outra. Elas totalmente suadas. Depois olhei pra Vãn. Fui lá andando. Abri a porta de lado e dentro tinha um monte de cara negro. Eu queria sorrir.
- Caralho, quantos...
Voltei andando pra porta onde estava o Bruno e falei “Bruno, você é o melhor do mundo”.
- Ju, goza bastante no pau deles hoje. Por favor? Quero nossa casa cheia de rola preta pra fuder minha novinha o dia todo. Por favor.
- Caralho Bruno, você é um sonho.
- Se você quiser eu busco mais negros.
- Não precisa.
Dei um selinho nele e falei “se vira pra fazer todos eles entrarem na sua casa pra foder sua namoradinha”.
Pra vizinhança não ver, o Bruno teria que fazer malabarismo. Ou então levaria fama de corno dos negros e mulatos.
Mas não, ele só abriu a porta da Vãn e aquele paraíso preto veio em fila sem camisas, um-a-um adentrando a casa do meu namorado, o lar das rolas grandes, o recando de negros pintudos, um verdadeiro canavial de rola.
Enquanto isso as meninas estavam sendo fortemente fodidas. O cara fodia uma com dois dedos no cu da outra. Eles suavam.
- Meninas...
Elas olharam e viram uns vinte negros pelados de pau duro olhando pra elas.
O Bruno foi tão maravilhoso, que escolheu dedo a dedo um por um dos negros pra um dia especial.
Todos, sem exceção, eram muito bem dotados. Aquela tarde seríamos fodidas até engravidar. Kkkkkk
O Bruno foi pro trabalho e nós ficamos até de madrugada dando pra um monte de macho. E eles nunca cansavam. E os que cansavam um pouco, tinha mais uns vinte com suas bengas imensas pra arrombar nós três.
No outro dia, no colégio:
- Ju, meu, eu tô com o cuzinho arrombado demais. Tá escorrendo porra do cu, da xoxóta
- E eu, que tô de modes porque não para de sair porra daqueles caralhudos maravilhosos.
- Eu sabia que vocês iam gostar.
- Ju, meu, tipo... nem sei como agradecer. Sério!
- Nem eu, amiga. Meu, eu nem acredito que fiz dupla penetração no cu com dois negros. Kkkk Nossa, eles me fuderam demais.
- Eu também, fiquei bem umas duas horas numa dupla foda no cu e uma na xoxota. Meu gozei demais. E ainda enquanto eu gozava sendo fodida por dois no cu e um na xaninha, um monte esfregava rola e saco no meu rostinho. Puta, assim quem guenta.
- Pode crer, que montão de pinto duro e grande. Parece até um sonho.
- Cara, meu, dupla penetração na bunda com dois negros cacetudos igual aqueles, não existe nada melhor nessa vida. Os caras meteram bem fundo, sem dó. Arrombaram meu cu. Arrombaram muito. De dois e dois, sem dó, por horas, dois pintos bem no fundo da minha bundinha branca. Kkk Eu sentia os dois batento os sacos na minha bunda.
- Caralho, cara, eu nem acredito que aguentei os dois metendo com força no cu. Ao mesmo tempo. Eu achava que isso matava. Mas acaralho, quando entra os dois e a gente relaxa, percebe que o grande barato é ser fodida por dois negros na bunda. Sempre. Eles dão muito prazer pra gente, meu.
- Verdade, amigas. Nossa, quero viver assim agora: só na dupla penetração anal com negros.
Kkkk A gente riu bastante. Mas é verdade. Dar o cu é uma delícia. Dar o cu e a xana ao mesmo tempo, então... melhor ainda. Pra negros dotados.. vixi, nem se fala. Agora, quando dois negros fodem seu cu ao mesmo tempo, enquanto você cavalga noutra tora imensa preta, isso é o máximo do prazer. Eu sei que tira os órgãos do corpo do lugar, mas este é o intuito de uma menina deseja sentir prazer. Ser arrombada de verdade. Ser fodida até o cuzinho esfolar. Até a bucetinha virar um túnel de tão arrombado. Kkkkkk
- Gente, o pior é que vocês não sabe.
- O que?
- O Bruno vendeu a casa dele. Pagou aquele monte de pinto pra comer a gente e agora está sem casa pra morar. Kkkk
- Nossa, mas e aí Ju?
- Diz ele que vai comprar uma casa maior pois aquela tá muito apertada pra minhas fantasias.
- kkkk Você ta zuando? Seu namorado vai comprar uma casa maior pra encher mais de macho ainda?
- Sim. Ele quer um apartamento enorme pra ser o meu Recanto do Caralho Negro. kkkk

Foto 1 do Conto erotico: Caralhos Negros pras Colegiais

Foto 2 do Conto erotico: Caralhos Negros pras Colegiais

Foto 3 do Conto erotico: Caralhos Negros pras Colegiais

Foto 4 do Conto erotico: Caralhos Negros pras Colegiais

Foto 5 do Conto erotico: Caralhos Negros pras Colegiais


Faca o seu login para poder votar neste conto.


Faca o seu login para poder recomendar esse conto para seus amigos.


Faca o seu login para adicionar esse conto como seu favorito.


Comentários


foto perfil usuario kzdopass48es

kzdopass48es Comentou em 21/02/2017

Realmente são lindas as PICONAS dos negroes! Betto (o admirador do que é belo)

foto perfil usuario mich

mich Comentou em 21/02/2017

a introdução é muito chata, não tive saco para ler o resto.




Atenção! Faca o seu login para poder comentar este conto.


Contos enviados pelo mesmo autor


69991 - Escrava que Escraviza - Categoria: Grupal e Orgias - Votos: 16
70217 - Crönicas de Estudante - Categoria: Traição/Corno - Votos: 7
70564 - Ju Loirinha Egoísta e Mimada da Negrada - Categoria: Interrraciais - Votos: 17
70570 - Aline Ensopada de Porra no GangBang - Categoria: Fetiches - Votos: 15
71000 - No Cu rosinha um Negro e namorado chupa xota - Categoria: Traição/Corno - Votos: 12
71512 - Meus Buraquinhos são Clube dos Negros - Categoria: Interrraciais - Votos: 11
71513 - Implorando por meu amor e eu Lavada de Porra - Categoria: Fetiches - Votos: 7
71836 - Festa da Porra. Seja submisso meu! - Categoria: Masturbação - Votos: 8
72526 - Madrinha dos Negros - Categoria: Interrraciais - Votos: 5
72530 - Meu Namorado Ciumento - Categoria: Traição/Corno - Votos: 21
72816 - Novinha Mimada - Categoria: Traição/Corno - Votos: 16
72996 - Preparando o Aniversário do Corno - Categoria: Fetiches - Votos: 9
73088 - Aniversário do Corno - Categoria: Traição/Corno - Votos: 9
73523 - Novinha no Funk Rodeada de Rola - Categoria: Traição/Corno - Votos: 16
75633 - Meu Quase Corno! - Categoria: Traição/Corno - Votos: 33
79113 - Antes do Colégio na casa do Corno - Categoria: Traição/Corno - Votos: 8
82547 - Negros para a namorada Branquinha - Categoria: Traição/Corno - Votos: 12
82664 - Traindo o Amante e o Namorado - Categoria: Traição/Corno - Votos: 6
82932 - Fome de gangbang - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
87260 - Férias e Festinha da Ju - Categoria: Traição/Corno - Votos: 11
87268 - Namorada na Balada - Categoria: Traição/Corno - Votos: 8
91674 - Vingança do Duplo Anal - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
93188 - Blowbang com 6 Negros - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
97444 - Terminei com o Corno - Categoria: Traição/Corno - Votos: 11
98035 - Minha namorada e seus pintos - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
98037 - Minha namorada e seus pintos 2de3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 9
98039 - Minha namorada e seus pintos 3de3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
98291 - Namoradinha humilhada - Categoria: Traição/Corno - Votos: 15
98341 - Ju a putinha e 14 Negros caralhudos - Categoria: Traição/Corno - Votos: 7
98378 - A Ju me obrigando a ser Corno 1 de 3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
98379 - A Ju me obrigando a ser Corno 2 de 3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 9
98382 - A Ju me obrigando a ser Corno 3 de 3 - Categoria: Traição/Corno - Votos: 10
98420 - Saco Escrotal dos Negros 1 de 2 - Categoria: Interrraciais - Votos: 12
98676 - Mundo de Dotados. Piscina de Porra - Categoria: Fantasias - Votos: 9
98975 - As Putinhas dos Vizinhos - Categoria: Traição/Corno - Votos: 12
99972 - A Ju e a Jéssica e os Negros - Categoria: Traição/Corno - Votos: 11
100349 - Iniciante de Corno - Categoria: Traição/Corno - Votos: 21
108073 - Bebendo Xixi e Chupando o Cuzinho da Jéssica - Categoria: Fetiches - Votos: 12

Ficha do conto

Foto Perfil jufresil
jufresil

Nome do conto:
Caralhos Negros pras Colegiais

Codigo do conto:
97128

Categoria:
Traição/Corno

Data da Publicação:
21/02/2017

Quant.de Votos:
9

Quant.de Fotos:
5


Online porn video at mobile phone


contoseroticossodomizadacontos heroticos hermafridita quadradinhosquadrinhos porno neta.damo o cu para voirmao.coloca a irma de juelho para foder a sua buceta virge e ela chora e grita de dorLactofilia com tia porncontos de desejos e luxuriacontos eroticos 2017 com fotosconto erodico de quadrinhohetaA mulher gozando no peniscontos eróticos novinho iniciado por coroahqs gay pornomeu amigo enrrabando minha mulhercontos eroticos reais Minha mãe é puta e eu viadinhocontos eroticos de zoofilia atualContos erroticos visinho fodedo novinhacantos eroticos tres meninos e comeram fe gosaran dentro de mimestória cu irmãzinhaliga da justiça porno gaycontos eroticos de irma mais velha com irmão de menorcontos eróticos vovó comendo o cu da netinhavelho metendo em netinha porno contos de rasgando o cu da irmã com a pica de jumentoContos mae punhetando o filhocontos erotico menstruadaConto erotico eu sou uma coroa casada de 45 anos muito carentecontos eroticos zoofilia cao super bravoscasada e afilhado corno viajando contosSexo com Beto PapakucOntos minha tia mepegou na punhetabuceta inchada porno makabrocachorro me comeu. calcinha molhada. contos heroticosenfiado legumes contos eroticotrepei com minha filha contos incestossó minha esposa de mulher contoconto porno gravida cu medicocontos veridico meu marido e eu pensava que era mulher mais tivemos a supresa era uma travesti bem dotadahq porno de traicaocunhada e amante contosContos eroticos virando mulherconto erotico sexo escondidocontos eroticos minha primeira siriricavidio porno erotico em desenho porno mae safada vom seu filhoContos gay pau pequenome comeram na festaminha esposa mamando conto eróticoconto acordei com meu filho chupando minha bucetaConto erotico 25cm grosso na irmaMinha namorada deu pro cara do uber conto eróticofui na casa da minha cunhada para buscar ela mas ela pediu para mim levantar o zíper do vestido dela o que aconteceuvagabunda+bucetuda+amadoraPorno contos avos iniciando ninfetinhas no incesto maes paiswww.contos de incesto deixei titio chupar minha bucetinhacontos eroticos sexo com minha mae de bikiniContos eroticos comida no barraco poe um negãoconto erotico maninhaconto porno velho roludotetraplegico contos eroticostravestis pag25porno koreanas lesbicascontos eroticos virei meninagorotinho tetudo contos eróticosMinha tia bebada conto eroticoxvedeo conto erotico a forca no onibuscontos veridico marido nao sabe que sua mulher trai ele com o garoto mega dotadocontos eroticos gays eu e meus amigos fudemos muito na infancia conto gaycontos de flagrascontos eróticos minha filha chupa meu paucontos eroticos vida de putaconto porno cagando porra com bosta na boca da amigacontos eróticos minha mulher e meu cunhadocorno de caminhoneiro contoscontos eróticos variadoscontos seduzida pelo pauzao do papaiconto erotico di novinha casadaconto erotico virei viadoFodendo a forca bundona bojete sexo fortemenina de rua conto eroticominha mae me deixou comer ela por pena contoconto comi amiga da minha namoradaquadrinhos erótico professora casadasConto erótico com o marido pausudo da minha amigaconto erotico depois que minha mulher viu aquele pau monstruoso tive que ageitar aquele pau pra elaconto erotico esposa putapedro caltemohistoria de contos eroticos de negao fudendo neguinha novinhachupando cachorro contoConto erotico caminhoneira